Home CONTACTOS EORNA LINKS LOJA

Pesquisa

Newsletter

introduza o seu email e subscreva a nossa newsletter

Such | Unidade de Esterilização

 

O Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, participou, no dia 26 de maio, na cerimónia de lançamento da primeira pedra da Unidade Regional de Lisboa do Serviço de Utilização Comum dos Hospitais (SUCH) situada no Parque de Saúde Pulido Valente.

 

A abertura da unidade Regional de Reprocessamento de Dispositivos Médicos de Uso Múltiplo está prevista para outubro de 2017. Pretende-se criar uma unidade funcional de apoio clínico, dotada de autonomia técnica e de recursos materiais e humanos próprios, de forma a realizar, centralizadamente, para vários hospitais da região de Lisboa, todas as fases inerentes ao ciclo que constitui o reprocessamento dos dispositivos médicos de uso múltiplo (recolha, transporte, receção e triagem, lavagem e descontaminação, secagem, inspeção montagem e lubrificação, preparação, embalagem, esterilização, armazenamento e distribuição).

 

Com um investimento estimado de 3.300.000,00€ (três milhões e trezentos mil euros) e uma área total de cerca de 3.000 m2, a central do Sech (Serviço de Esterilização Comum dos Hospitais) criará cerca de 40 postos de trabalho, estará apetrechada com equipamentos de topo e com a mais recente tecnologia, visando processar Dispositivos Médicos seguros e adequados à utilização prevista e garantir a satisfação dos utilizadores através da prestação de um serviço de qualidade.

 

O SUCH no âmbito da sua missão de desenvolvimento de atividades de apoio e suporte aos seus associados prevê o projeto de construção e gestão de unidades centralizadas de reprocessamento de dispositivos médicos de uso múltiplo, no cumprimento de todos os requisitos legais e outros normativos associados, por forma a garantir com qualidade e segurança, as necessidades das unidades hospitalares de Portugal neste domínio.

 

Como vantagens de uma unidade centralizada, destacam-se as seguintes:

  • Recursos humanos formados e dedicados a esta atividade
  • Equipamentos apropriados e validados
  • Redução de custos
  • Maior rentabilização dos recursos humanos e equipamentos
  • Controlo centralizado dos processos
  • Rastreabilidade do produto e do processo
  • Gestão dedicada
  • Controlo da durabilidade dos DM
  • Diminuição dos gastos excessivos
  • Normalização dos procedimentos
  • Obtenção das certificações aplicáveis à atividade (ISO 13485)
  • Contribuição para a prevenção e controlo das IACS
  • Libertação dos profissionais de saúde para a atividade clínica.

Voltar Imprimir O seu email n�o � valido
2011 © AESOP - Todos os direitos reservados  |  Powered by Leading
Última actualização em 2017-10-11